As minas de Regoufe | Arouca

Minas de Regoufe

Havia já algum tempo que não ia para aqueles lados, os lados de Arouca. Um local que nunca desilude quem gosta de apreciar paisagens bonitas e de fazer caminhadas. Desta vez o destino não foi as Escarpas da Mizarela ou Rio de Frades, mas sim as Minas de Regoufe.

Regoufe é uma pequena aldeia na Serra da Arada e que se situa na freguesia de Covelo de Paivó em Arouca. Regoufe significa Rei dos Lobos, nome este deixado pelos visigodos. Apesar de nos dias de hoje viver apenas da agricultura, esta localidade foi outrora uma aldeia bastaste movimentada uma vez que o seu solo é rico em volfrâmio, o qual foi exportado em grandes quantidades durante o século XX. Este volfrâmio foi entregue principalmente às forças aliadas durante a Segunda Guerra para construção de armas e munições. Hoje ainda é possível ver a entrada das minas, casas da época em ruínas e também algumas estruturas deixadas no local. Nas Minas de Regoufe trabalharam cerca de 1000 pessoas.

Minas de Regoufe
Minas de Regoufe

É também nesta aldeia que podemos iniciar o PR 13 – Na Senda do Paivó e também o PR 14 – A Aldeia Mágica que segue até Drave. Um dia posso mostrar-vos algumas fotos deste percurso quando lá voltar porque da primeira vez esqueci-me do cartão de memória em casa e não pude tirar fotos.

Minas de Regoufe

Minas de Regoufe

O carro teve de ficar na entrada da aldeia pois as suas ruas são muito apertadas. Antes de visitar as minas e se quiserem desfrutar da vista sobre as montanhas mágicas, uma vez no topo da aldeia é só descer até à base do vale e depois voltar a subir por entre as pedras como se fossemos no caminho do PR 14 que nos leva a Drave. O que acho mais curioso é que um dos lados da aldeia de Regoufe é completamente colorido graças aos seus campos e vegetação, culminando nas curvas das montanhas no topo da serra, já o outro lado, o das minas, é cinzento e sem vida, parado no tempo. Depois da subida não avançámos mais, aquela paisagem era mais que suficiente e a ideia também não era andar muito, apenas respirar um pouco de ar puro. Por isso, uma vez chegados ao topo decidimos voltar para trás e ir então até às minas.

Minas de Regoufe

Para lá chegar é necessário voltar a atravessar a aldeia e subir tudo, é possível ainda levar o carro até lá apesar de o pavimento estar um pouco estragado e não ter alcatrão. Uma vez nas minas podes viajar no tempo e tentar imaginar como seriam as casas e a vida em Regoufe na sua fase mais movimentada. 

Minas de Regoufe

Minas de Regoufe

Minas de Regoufe
Minas de Regoufe

Num balanço entre o colorido e o monocromático, já o sol estava prestes a desaparecer quando abandonámos Regoufe, entregue à sua calma e pacatez, no silêncio das montanhas mágicas. 

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.