Blog update

Este blog tem estado parado, é certo. A minha rotina diária não me tem deixado muito tempo para publicar conteúdo novo. Não que não tenha viajado, que até viajei bastante, mas a falta de tempo e muitas vezes de paciência confesso, não têm ajudado. A verdade é que tenho muitas viagens para partilhar contigo e prometo voltar em breve! Nestes últimos tempos voltei a Moscovo e a Berlim, fui a Praga, Estocolmo, Copenhaga, Varsóvia, Lodz, Cracóvia e Nuremberga. Cada uma dessas viagens me ensinou algo diferente e é isso que procuro nelas.

No verão, em agosto, tive uma das melhores experiências de viagem da minha vida! Fui a um festival no norte da Alemanha, o Wacken Open Air que se realiza numa vila chamada Wacken como o nome do próprio festival. Quem gosta de heavy metal conhece este festival de certeza, pois é o maior festival do género do mundo. Desde os tempos da adolescência que sonhava em ir lá e aos 32 anos acabou por se realizar. Este ano o festival comemorou os seus 30 anos de existência e contou com cerca de 200 bandas, 8 palcos e 80000 pessoas.

Fui de avião até Hamburgo com o Tiago e mais 3 amigos. Lá, alugámos um carro uma vez que íamos acampar, e chegámos ao recinto no primeiro dia do festival, depois de várias horas no trânsito. Só para terem uma noção da dimensão do festival, a nossa tenda ficou a cerca de 2 km dos palcos, pois já não haviam lugares mais próximos! O meu maior receio era as tempestades pois estava a dar muito mau tempo para todos os dias do festival. Felizmente só choveu durante algumas horas num dos dias por causa de uma tempestade que chegou de repente e todo o recinto teve de ser evacuado em cerca de 30 minutos, mas umas 2 horas foi-nos permitido voltar a entrar. Apesar da monstruosidade do festival, o espírito ali vivido é muito familiar e nem parece que estão lá 80000 pessoas. Dentro do recinto existem muitos locais para comer e beber com comida super boa e não muito cara. Os nossos vizinhos de tenda ofereceram-nos café e cerveja e todas as pessoas que conhecemos foram espetaculares.

Apesar de ser um festival que atrai pessoal de todo o mundo, a maior parte dos festivaleiros continua a ser alemão, por isso perguntavam-nos com curiosidade de onde vínhamos e ficavam admirados de termos ido de tão longe (não é assim tão longe mas ok!). Trouxe do Wacken excelentes recordações, muitos concertos de bandas que adoro, excelente convívio e muita diversão, sem dúvida uma das melhores experiências da minha vida! Como os bilhetes normalmente esgotam em poucos dias, têm de ser comprados com um ano de antecedência, este ano não vou conseguir ir à edição de 2020 porque não comprei o bilhete atempadamente, mas conto voltar em 2021!

Terminado o festival, e estando no norte da Alemanha, aproveitei para ir até Copenhaga onde estive 3 dias, regressando depois a Portugal. Mais recentemente fui a Bruxelas, mas não fotografei nem visitei nada em especial, uma vez que fui em trabalho e só consegui ver a praça principal num dia à noite, onde já tinha estado há vários anos com os meus pais.

Já tenho alguns posts escritos sobre a Polónia e uma retrospetiva da última década, mas ainda muitos outros para te escrever! Além disso, acabei agora de marcar uma nova viagem para Budapeste. Se tiveres algumas dicas, deixa aqui nos comentários!

Entretanto fica a promessa de voltar em breve não só aqui, mas também no Facebook e no Instagram!

Vemo-nos por aí! Bom ano!

Vê também:

3 comentários

  1. Oi Sandra! Que bom que voltou! Tenho uma amiga que já foi nesse festival e hoje mora em Porto. Aguardo seus posts sobre as viagens e desejo a você um excelente 2020! No final de janeiro, estarei por Portugal e Espanha. Eu e meu marido alugaremos um carro em Lisboa e partiremos para uma road trip rumo à Jerez de La Frontera. Se tiver dicas sobre essa região, serão muito bem vindas, pois ainda estamos definindo nosso roteiro. Se estiver por Lisboa e quiser marcar um café, seria um prazer te conhecer pessoalmente. Abraços!

    1. Olá Alê! Que pena, não estarei por Lisboa (moro no norte de Portugal), se não, com certeza marcaríamos um café e um pastel de nata (um delicioso bolo português que tens de provar!). Sou sincera, não conheço muito bem o sul de Portugal, apenas um pouco da Costa Vicentina, acredito que esse será o trajeto mais bonito apesar de também ser o mais longo, ou seja, ir sempre de Lisboa até Espanha junto à costa, que é lindíssima! Junto a Lisboa, já seguindo para sul, faz uma paragem na Serra da Arrábida e no Portinho da Arrábida, vais na altura ideal pois no verão é impossível! Desejo-te um excelente ano e viagem, espero que a tua estadia por Portugal valha muito a pena e depois quero ver as fotos! Se precisares de alguma coisa é só dizer! Beijinhos.

      1. Muito obrigada pelas dicas, já estão devidamente anotadas. Que pena que não estarás por Lisboa, mas pode deixar que comerei pastel de nata. Quando passei pelo aeroporto de Lisboa em 2012, fiz questão de provar um. Lá na Ucrânia tinha um café que servia pastel de nata e aqui em Amsterdam encontra-se facilmente também. Apesar de não ser portuguesa, sinto gostinho de casa quando como comida portuguesa. Talvez seja vestígios da descendência distante. 🙂

Deixa o teu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.