5 Passatempos que contribuem para o nosso desenvolvimento pessoal

“A Cultura Mora Aqui” (ACMA) regressa novamente ao blog, desta vez para vos falar de passatempos que é o tema do mês. Um tema bastante pessoal, visto que cada um tem os seus próprios interesses, mas que muitas vezes acabam por servir de elo de ligação entre cada um de nós. Aquilo que gostamos de fazer e onde gostamos de despender o nosso tempo diz muito de nós.

Gosto de fazer imensas coisas. Os meus tempos livres são ocupados essencialmente a fotografar, a passear, a praticar desporto, a ver filmes/séries, a ouvir música, etc. mas, gostaria de falar-vos de coisas mais “educativas”, ou seja, passatempos de contribuem diretamente para o nosso desenvolvimento pessoal, que nos façam pensar mais e melhor, que nos ensinem algo e que nos ajudem a ser mais criativos.

É claro que se pode aprender (e muito) a ver filmes e séries, por exemplo, mas algumas vezes não passa apenas de um entretenimento, principalmente se forem daqueles que não têm nada que nos faça refletir. Claro que também se pode aprender muito com a fotografia, eu própria ao longo do tempo tenho vindo a estudar sobre o assunto mas preferi não incluir aqui pois também depende muito da perspectiva como cada um a vê, isto é, a diferença entre apontar e disparar e pensar antes de disparar.

Os 5 passatempos que vos sugiro são alguns exemplos daquilo que faço no meu dia-a-dia, opções pessoais, que eu gosto e que considero que me fazem evoluir como pessoa relativamente às minhas competências pessoais e que por isso, julgo que podem ser (ou já são também) úteis para vocês.

 

01. Aprender uma nova língua
Confesso que nesta me tenho desleixado um pouco, andava a aprender russo sozinha no entanto não tenho praticado mas gostaria de recomeçar em breve. Cada vez mais é importante falar mais que duas línguas (a nossa língua e mais outra que por norma é o inglês). Além do inglês, tive francês e alemão na escola e espanhol na universidade. Devo dizer que de alemão e francês pouco me lembro, com pena minha. No que toca a idiomas e a muitas outras áreas do conhecimento, deixar de praticar é meio caminho para esquecer, e foi o que aconteceu. Por isso, há que praticar muito.

Aprender uma língua nova não implica ter de pagar um curso caro, basta algum tempo, força de vontade e alguma pesquisa na internet, afinal, não falta por aí material gratuito para aprender seja o que for. Uma app fixe para aprender algum vocabulário é o MOSA Língua, disponível gratuitamente em vários idiomas.

 

02. Trabalhos manuais
Mais na vertente artística gosto de pintar, costurar e criar objetos decorativos. São bons exercícios para melhorar a nossa criatividade. Sempre gostei de pintar, por isso adoro aqueles livros de pintar que estão na moda. Recentemente aventurei-me na pintura com aguarela e em tecido mas, relativamente à aguarela, foi muito mais difícil do que eu pensava. Não é fácil controlar a quantidade de água e tinta para que as cores fiquem como imaginámos e se espalhem como queremos, principalmente para alguém como eu que nem desenhar sabe! Mas vou tentando. E é aqui que reside o benefício, pois nem tudo é fácil e nem tudo se faz à primeira. Tentar, praticar e melhorar para aprender.

 

03. Ter um blog
Para quem está de fora às vezes pode não parecer, mas manter um blog dá muito trabalho. São muitas horas a pesquisar, a escrever e a editar artigos e fotografias. É uma excelente forma de desenvolvermos a nossa escrita e a nossa criatividade e, ao mesmo tempo, interiorizamos e partilhamos conhecimentos. É um modo de desenvolver o pensamento e mostrar as nossas opiniões. experiências e saberes sobre determinado assunto, inspirando e ajudando quem nos lê.

Às vezes andamos com as nossas ideias e experiências dispersas aqui e ali, porque não criar um blog para as registar? É uma ótima forma de nos cultivarmos e partilharmos um pouco de nós.

 

04. Ler
Ler, mas ler livros interessantes e com conteúdo! Com cultura e mensagens que nos façam pensar, mudar de opinião, refletir, questionar, aprender, que nos inspirem, que mudem algo em nós. Ler os clássicos, os grandes autores, livros sobre história, diários, ensaios, histórias criativas e envolventes. Ler sobre aquilo que gostamos, sobre fotografia, música, matemática, qualquer coisa que nos enriqueça. Ler ajuda-nos a pensar e a escrever melhor.

 

05. Fazer cursos online/ver tutoriais
Há tantas coisas que se podem aprender viajando pela internet. Muito do que aprendi sobre fotografia foi a ler informação disponibilizada gratuitamente, quer através de sites/blogs mas também através de vídeos no youtube ou cursos gratuitos disponibilizados, por exemplo na plataforma Udemy. Aprendi a costurar sozinha, entre outras coisas, só com estas ferramentas. É óbvio que nem tudo se consegue aprender sozinho, mas ter todo este material à nossa disposição a qualquer hora é uma ajuda preciosa. Pode-se aprender tantas coisas!

Todos os minutos do nosso dia gastos a aprender algo é tempo precioso e que não deve ser desperdiçado! Saber mais, nunca é demais.

 

Se és blogger ou youtuber e também queres participar neste projeto! Basta enviar um e-mail para [email protected] No âmbito deste projeto não poderão ser abordados temas sobre maquilhagem, outfits e moda pois a ideia é exatamente fugir a estes temas. A participação mensal não é obrigatória.

Blogs fundadores projeto ACMA
Anda Daí! | Hey Pêssegos | Comic Life | Cor Sem Fim | Miss Melfe | Bookaholic

Acompanhem o projeto no Facebook e espreitem também os outros participantes!

12 comentários

  1. Que legal, não sabia que você estava aprendendo russo! Eu comecei a aprender russo sozinha, mas acabei mudando para o ucraniano porque achei a pronúncia mais fácil. No ano passado eu e meu marido resolvemos contratar uma professora e fez MUITA diferença. Depois de um ano, já consigo entender bastante, mas falar ainda é bem difícil, especialmente por conta da gramática. E concordo, ter um blog dá bastante trabalho e muita gente não faz ideia disso. Por isso eu não posto com frequência, já que demoro muito tempo para preparar cada post. Você segue o canal Dupla Exposição! Também gosto muito desse canal. 🙂

    1. O russo é muito difícil, é necessário muita dedicação e o ucraniano também não deve ficar atrás! Também não posto com muita frequência pois também fico muito tempo a preparar os artigos, não é fácil mas faço-o com muito gosto! Pois é! Também sigo o Dupla Exposição e adoro, é realmente um casal com um talento imenso! Estive a ver os teus posts sobre a Polónia pois vou lá este mês e ajudou muito! **

  2. neste momento ando a aprender alemão online e a explorar o mundo da fotografia. gosto muito de ler mas acabo por não o fazer tanto quanto gostava! quanto ao blog… criei o meu à quase dois meses como forma de me distrair da minha situação profissional atual e neste momento não existe nada que me dê mais prazer fazer! gostei muito do blog, beijinhos e um bom fim-de-semana 🙂

  3. Eu gosto de tudo o que me faça evoluir. Sim, de vez em quando também gosto de ver algumas séries que não me obriguem a pensar muito, especialmente quando estou em estado de quase “morte cerebral”, mas os passatempos que me permitam ser melhor são os meus preferidos.

    Sempre gostei imenso de línguas e em 2011 decidi que só o inglês não era suficiente. Fui estudar francês e agora sou fluente nos dois idiomas. Em Setembro muito provavelmente irei escolher um novo, mas ainda não decidi. O russo sem dúvida que está na lista, assim como o japonês (do qual sei algumas coisas). É muito interessante que tenhas decidido aprender por ti. Eu inscrevi-me na Alliance Française para o francês, e muito provavelmente irei para algo equivalente quando escolher a minha 4ª língua. Apesar de ter disciplina e de conseguir estudar por mim, gosto do contacto pessoal com professores nativos, e de partilhar a minha jornadas com outros alunos, no mesmo espaço.

    Trabalhos manuais também é algo de que sempre gostei. Adoro desenhar coisas e pintar, embora não tenha evoluído muito ao longo dos anos. Já pensei em fazer um curso de desenho, daqueles mesmo básicos, sabes?

    É verdade, ter um blogue dá mesmo trabalho… Mas é tão bom, não é? Obriga-nos a praticar a escrita, a definir horários, a organizar melhor o nosso tempo. Eu comecei o blogue por mim, porque queria praticar a minha escrita, não por achar que tinha algo de interessante a partilhar com o mundo. Ainda hoje não sei se tenho, mas gosto de escrever por lá, por isso irei continuar 🙂

    Queres saber uma coisa engraçada? Tenho praticamente todos os livros que estão nessa fotografia! Desde há uns 2 anos que estou numa missão de ler os clássicos. Já consegui ler alguns, mas ainda tenho um longo caminho a percorrer…

    Hoje em dia, com a internet, é tão fácil aprendermos o que quer que seja. Já fiz um curso sobre Direitos Humanos no Udemy, e ando a pensar em começar um sobre fotografia. O meu problema é que há tantos cursos por aí! Queria fazer todos, mas o meu dia tem apenas 24 horas. Por isso só posso ir fazendo um de cada vez, aos bocadinhos (o que é melhor que nada, não é?)

    (Uau, este comentário ficou incrivelmente grande, peço desculpa!)

    1. Olá Catarina, gostei muito do teu comentário porque deu para conhecer mais um pouco de ti. Aprender uma língua por nós próprios, apesar de possível, é muito difícil, há que querer muito e repetir muito quase até à exaustão o que às vezes acaba por nos fazer desistir. Numa escola é diferente, temos o acompanhamento de um professor e a companhia de outros colegas o que acaba por facilitar. No momento em que acharmos que estar em casa a aprender não chega o melhor é mesmo procurar uma escola como fizeste.

      Quanto ao blog, é um grande disparate dizeres que não sabes que tens algo de interessante a partilhar, é claro que tens coisas interessantes para partilhar com o mundo! E muito interessantes!! Mas compreendo o que queres dizer, o blog acaba por ser um exercício de disciplina, escrita e criatividade. Eu confesso que não tenho muita queda para a escrita e para mim escrever, apesar de ser algo que gosto de fazer, é uma coisa que faço com algum esforço ainda, ainda tenho de pensar muito para escrever algo que considere minimamente bom, ou seja, eu não escrevo com muita facilidade mas tenho notado que desde que criei o blog tem sido cada vez mais fácil, como algo que vamos praticando e que se vai tornando mais simples. Pf continua a escrever e a partilhar as tuas experiências mesmo que não aches que isso possa interessar alguém pois a mim pelo menos interessa e tenho a certeza que a muitas outras pessoas também. 🙂

      Os livros são quase um vício. Tantos que ainda não li e estão ali na estante à espera! Neste momento estou a ler “Se isto é uma Mulher” da Sarah Helm e “A Russian Journal” do John Steinbeck. Não sei se já leste algum deles mas se não, pelo bocadinho que tenho “visto” de ti acho que irias gostar, principalmente do último.

      Mas, é como dizes, o problema é mesmo os dias serem tão pequenos para tantos interesses!

  4. Se há algo que gostaria muito era de saber mais línguas. Sei inglês e considero que o domino facilmente, mas não sei mais nada. Quero dizer, tive francês na escola mas não sei quase nada e de espanhol dou-lhe uns toques mas só de ouvido.

    Gostei muito do teu post, beijinhos
    inesmartinsxx.blogspot.pt

  5. Os nossos hobbies são tão identicos que até assusta =P Só não vejo series porque vicio facilmente e não consigo ver só um episodio de cada vez.
    Sugeria que postasses sobre os teus livros favoritos 🙂
    Uma boa semana**

    1. A sério? Que interessante! Isso quer dizer que nos poderíamos dar muito bem! 😀 Pois esse é o problema das séries, uma pessoa não aguenta a curiosidade e depois a vontade é de ver os episódios todos de seguida. Obrigada pela sugestão dos livros favoritos, um dia destes escrevo sobre isso! Beijinhos ***

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *