Resumo da última década

E de repente já estamos em abril de 2020 e a passar uma fase que nunca pensámos ser possível. Mas não estou aqui para falar de vírus e outras doenças.

Tinha este post aqui nos rascunhos há algum tempo, mas agora vai e é para vos falar dos meus últimos 10 anos. Diria que, pelo menos para mim, este tempo todo passou a correr e foram definitivamente, de viragem. Apesar de alguns momentos piores, só tenho a agradecer tantas coisas boas que me aconteceram e que gostaria de partilhar contigo, até para que me possas conhecer um pouco melhor. Deixo-te assim o resumo da última década na minha vida.

2010

Fui ao Rock in Rio pela segunda vez para ver Motorhead, Megadeth e Rammstein. Passei as férias de verão em Valhelhas, junto à serra da Estrela e no natal fui a Salamanca e encontrei muita neve pelo caminho! Nesta viagem lembro-me de ter passado a noite de natal na rua, com um frio de rachar, a comer pão com chouriço, que arranjei numa bomba de gasolina, pois não havia mais nada aberto. Entretanto, junto ao local onde estávamos, começou uma casa a arder no telhado, mas logo apareceram os bombeiros para tratar do assunto!

2011

Em abril vi uma das minhas bandas preferidas ao vivo pela primeira vez, Manowar. Alguns meses depois fui à Corunha para ver mais uns concertos e conhecer a cidade.

Em agosto mudei-me de Aveiro para Vila Nova de Gaia, uma vez que tanto eu como o Tiago estávamos a trabalhar no Porto, por isso não fazia mais sentido continuar a fazer a viagem de Aveiro para o Porto todos os dias. Tenho algumas saudades de Aveiro, mas a realidade é que prefiro morar em Gaia. Nesse ano trouxemos toda a nossa tralha de Aveiro na carrinha de um amigo, o que foi a pior decisão de sempre. Foram 4 viagens entre sábado e domingo a acartar móveis, eletrodomésticos, etc.. O domingo até foi tranquilo, mas no sábado só me lembro de acabarmos o dia, já bem depois da meia noite a comer bifanas numa bomba de gasolina.

2012

Em janeiro de 2012 fui a Barcelona. Na altura fiquei bastante bem impressionada com a cidade, mas à medida que fui conhecendo outros locais, Barcelona acabou por ir ficando para o fim da lista.

Nesse ano voltei a Espanha em maio para ver alguns concertos, mas a viagem não correu como esperado. Tinha planeado ficar lá 3 dias, mas acabei por ficar só um. Fui apanhada numa greve dos controladores aéreos e no dia em que cheguei soube que tinha de voltar no dia seguinte. O que vale é que ainda consegui ver os concertos, mas logo a seguir tive de regressar. Perdi uma noite no hotel e não pude visitar nada além da Plaza Mayor e da Puerta del Sol, debaixo de um calor infernal.

Ainda nesse ano, fiz uma viagem de carro de Gaia até Porto Covo, que adorei. Fui parando pelo caminho até chegar ao destino onde estive a acampar. Como já estávamos em setembro, toda a vaga de turistas já tinha desaparecido e deu para usufruir de praias maravilhosas quase desertas, e eu que não gosto nada de praia, acabei por ficar com esta boa recordação.

2013

Em março fui a Milão e estava um tempo horrível, com muito frio e chuva e a cidade não me agradou muito, por isso acho que dificilmente lá voltarei. No verão estive em Hamburgo e adorei. No fim das férias ainda deu para dar um passeio até à Serra da Arrábida e por Lisboa. De resto acho que não se passou mais nada de especial. Ah! Comprei uma máquina de costura e aprendi a costurar!

2014

Em 2014 aconteceram algumas coisas importantes. Visitei Londres pela primeira vez e voltei a Madrid. Agora sim, sem percalços com voos, pude conhecer a capital espanhola em condições e devo dizer que me surpreendeu bastante. Gosto muito de museus e Madrid está recheada deles, e dos bons! Neste ano também rapei o cabelo de lado e casei-me! Depois do casamento, estive 5 dias em Paris, cidade que também adorei conhecer.

2015

Em fevereiro fui passar uns dias a Lisboa para conhecer melhor a capital e em abril fui à bela Florença, um dos sítios mais bonitos que vi até hoje!

Nessa viagem aconteceram várias peripécias: além de quase ter dormido na rua em Bolonha ainda parti uma máquina fotográfica praticamente nova mas, mesmo assim, foi uma das minhas viagens preferidas, prova de que mesmo com momentos menos bons podemos ter momentos melhores que quase fazem esquecer os maus.

Nesse ano também fiz parte da conhecida linha do Tua a pé, 20 quilómetros algo dolorosos uma vez que temos de andar na linha do comboio e as passadas têm de ser feitas nas ripas de madeira o que acaba por ser incomodativo depois de alguns quilómetros. Além disso estava imenso calor, mas que valeu muito a pena pelas paisagens e pelos apeadeiros que vamos encontrando pelo caminho.

Em junho fiz um passeio de barco do Porto até à Régua, foi bonito mas também um bocado seca a partir de certa altura. São muitas horas dentro do barco e acaba por ser um pouco chato.

Já em setembro fui a Berlim, uma cidade pela qual me apaixonei e onde não me importaria de viver, uma das minhas cidades preferidas de sempre! Foi aqui também que percebi que tinha de visitar a Rússia. Como gosto muito de História e tendo Berlim atravessado alguns dos acontecimentos históricos mais importantes de sempre e que mais marcaram os tempos em que vivemos, eu queria ver o outro lado da Cortina de Ferro a sério, já desvendada em parte em Berlim mas este conhecimento não estaria completo sem pôr os pés no maior país do mundo.

Para terminar as férias voltei à Serra da Estrela, um sítio que eu gosto muito, de preferência no verão que não tem ninguém!

2016

2016 começa com uma das viagens que menos gostei de fazer: Roma. Mas não vou falar mais sobre isso, já que já o fiz aqui, se não ainda me batem!

Para continuar mal o ano, passei um dos piores dias da minha vida: o meu gato faleceu de forma trágica, depois de 6 anos juntos. Tenho muitas saudades dele. Só quem já teve animais e passou por isto sabe do que falo.

Mas é preciso seguir em frente e nesse ano fiz vários trilhos a pé, nasceu este blog e fiz a melhor viagem de sempre e a que mais me marcou: fui à Rússia. Já falei disso várias vezes aqui no blog por isso não me vou alongar nesta parte. Para fechar o ano fui conhecer Veneza. O tempo estava fantástico, apesar de frio, e os turistas não eram em demasia. Esta foi mais uma das minhas viagens preferidas.

2017

Este foi talvez o ano mais importante da década para mim. Tirei uma formação em Marketing Digital e deixei o meu emprego, mudando radicalmente de área, uma das melhores decisões da minha vida. Antes de começar o curso de me levou 8 meses a terminar, pude voltar a Amesterdão, onde já não ia desde a minha adolescência e, mesmo tendo de conciliar estudos com trabalho, ainda deu para passar uma semana na Polónia e fazer mais alguns trilhos durante o ano.

Em novembro já tinha um emprego novo que adoro e mantenho até hoje. Em dezembro voltei a Madrid para ver um concerto e revisitar alguns locais. Neste ano também fiz a minha primeira tatuagem! Entretanto já se seguiram mais 4 e vêm aí mais!

2018

2018 foi o ano em que mais cresci profissionalmente e talvez até como pessoa. As responsabilidades que tive de assumir no trabalho e as dificuldades que tive de ultrapassar fizeram de mim uma pessoa melhor, em vários aspetos. Consegui melhorar na forma como encarava algumas situações e aprendi imenso.

Durante o verão não me lembro de ter feito grande coisa, a não ser mais uns trilhos pelo Gerês, porque o melhor estava para vir.

A melhor surpresa do ano foi saber que iria voltar a Moscovo em trabalho, uma vez que estava a organizar a presença numa feira de uma das empresas com a qual trabalho. E lá fui eu, sozinha, para Moscovo uma viagem que durou quase um dia inteiro. Já em Moscovo, apanhei um motorista de Uber completamente louco que me levou até ao hotel, numa viagem de mais de 2 horas. Depois de terminada a feira, pude ficar em Moscovo mais 4 dias e o Tiago foi ao meu encontro. Estava muito frio já e chegou a nevar, apesar de ainda só estamos em outubro, mas foi fantástico poder voltar à minha cidade preferida.

Neste mesmo ano, comprei um apartamento e por isso voltei a mudar de casa, mas desta vez contratei uma empresa para fazer as mudanças, não cometendo o erro do passado!

Para terminar em grande, vi pela primeira vez a minha banda preferida, Sólstafir. No fim do concerto ainda consegui uma foto com o vocalista e um álbum autografado! Eu nem sou nada destas coisas, de pedir autógrafos e fotos com as bandas, mas com esta tinha mesmo de ser!

2019

E quase 10 anos depois… Comecei o ano a saltar de paraquedas pela primeira vez, uma experiência absolutamente espetacular! A melhor forma de descrever esta aventura é citar o instrutor de salto que me disse: “Agora já sabes porque cantam os pássaros, porque podem voar!”. Ainda em janeiro foi pela segunda vez à termas de Os baños no Gerês, um sítio fantástico para tomar banho no frio do inverno!

Em março visitei Nuremberga e em junho voltei a ter de viajar em trabalho, desta vez para Estocolmo, onde aproveitei para ficar mais uns dias no final. Adorei Estocolmo, cidade lindíssima apesar de muito cara, um destino a repetir certamente!

Este foi também o ano de fazer algo que queria muito fazer desde a minha adolescência: ir ao Wacken Open Air na Alemanha, um dos maiores festivais de Heavy metal do mundo! E assim foi, 4 dias de festival brutais que planeio voltar a repetir em 2021. E aproveitando o facto de estar no norte da Alemanha, no final do festival apanhei um autocarro e fui até Copenhaga, a minha última viagem deste ano.

Ainda este ano voltei a fazer algo que não fazia há anos: jogar! O Tiago ofereceu-me uma Playstation 4, algo que andava há algum tempo para comprar. Na minha adolescência, eu costumava jogar muitos videojogos, mas com o passar do tempo, e porque não tinha um computador capaz para isso, acabei por ir deixando de jogar, mas agora voltei ao mundo dos jogos!

Sei que com certeza teria muitas mais coisas para partilhar, mas não é fácil recordar tudo aquilo que se passou durante estes 10 anos. Foram centenas de concertos vistos, muitos quilómetros percorridos, muitos livros lidos e outros por ler, alguns momentos maus mas, acima de tudo, tenho a recordar bons momentos, muita diversão e uma grande caminhada de aprendizagem.

Não sou pessoa de fazer grandes planos, gosto de ir vivendo a vida conforme ela vai acontecendo, por isso não vou fazer listas para os próximos anos ou sequer para os próximos meses.

Só tenho agradecer (não sei bem a quem porque não acredito em nada de transcendente), mas agradeço na mesma por todas as oportunidades e a todas as pessoas fantásticas que se cruzaram e continuam a cruzar no meu caminho. Só espero que os próximos 10 anos sejam tão bons ou melhores que os que já passaram, pelo menos a partir de 2021, que este já deu para ver que deve ser para esquecer!

Vê também:

1 comentário

  1. Que legal essa retrospectiva, Sandra! Quanta coisa interessante aconteceu nos últimos 10 anos. Muitos aprendizados. Fiquei triste pelo teu gatinho… A vida é feita desses bons e maus momentos e só nos resta aceitar o que não pode ser mudado neh? Espero que esteja tudo bem por aí, apesar desses tempos complicados. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.